quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Na Audio-Infos



Olá amigos!!
Após mais um longo jejum de notícias, aqui vai essa novidade... Ao que parece, foi uma ótima decisão ter participado da Bienal do Rio, ter ficado doente, passado o maior sufoco no aeroporto, etc e tal, já que a coisa continua rendendo frutos. Dessa vez meu livro foi matéria de capa e saiu numa matéria de duas páginas na edição brasileira da Audio-Infos , uma revista de audiologia publicada na China , Rússia, Brasil e vários países europeus. Como só é disponível por assinatura, aqui vai a matéria na íntegra, para quem se se interessar.
Essa notícia foi veiculada também no site Engeplus:
http://www.engeplus.com.br/conteudo.php?int=noticia&codigo_not=6891

No mais, desejo um ano novo de poucas promessas e muitas realizações, sempre lembrando que são infinitas as possibilidades e que nunca sabemos o que a maré da vida pode trazer para nós. É só ficarmos bem centrados em nossa verdade que as coisas importantes da vida acabam acontecendo por si mesmas. Fiquem com Deus.

A ALQUIMIA DA DEFICIÊNCIA AUDITIVA EM VANTAGEM

O olhar que temos sobre os acontecimentos da vida depende muito do ângulo que escolhemos. Uma deficiência, qualquer seja ela, é uma razão para não fazer, não tentar... e não conseguir. Vista de outra maneira, porém, tal limitação pode se tornar algo a superar para crescer e abrir se horizontes. No seu Manual Bem Humorado dos Privilegiados Auditivos, Gustavo de Amorim explica com humor e fineza como seguiu o segundo caminho. Com perda auditiva severa bilateral, Gustavo logo enfrentou obstáculos, especialmente na escola ¨Eu sempre fui o único aluno com limitação auditiva da classe. Como os professores jamais lembravam disso, muitas vezes terminei a prova exatamente como tinha começado: na mesma, com a página em branco¨, conta Gustavo no seu manual. Apesar disso, esse catarinense de 28 anos (acabei de fazer 29), nunca repetiu na escola, prosseguiu na faculdade, se formou em farmácia e bioquímica e hoje trabalha no manuscrito do seu segundo livro ¨As Emoções Bárbaras¨.

Capacidade de Concentração

Por ter ficado impermeável aos sons da vida quotidiana por muito tempo, Gustavo avalia que escapou da lavagem cerebral por jamais ter assistido novela e, sobretudo, desenvolveu o hábito da leitura, tão raro no Brasil. ¨Amo a literatura, uma paixão que remonta à mais tenra infância e está estreitamente relacionada à perda auditiva, já que esta última aumenta muito a capacidade de concentração¨, explica Gustavo, que gosta de ler praticamente tudo. ¨Já li o suficiente para saber o que realmente tem valor, sem precisar recorrer às listas dos livros mais vendidos, que em grande parte das vezes não passa de mistificação e lixo cultural¨, afirma.
Segundo Gustavo, o Manual Bem Humorado dos Privilegiados Auditivos é inédito no segmento. O autor pretende traduzi lo ¨não só para outras tecnologias, como o braile, mas também em outras línguas¨, para divulgá- lo em outros países. Prevê uma segunda edição brasileira em breve, já que a primeira está praticamente esgotada.

Trocar o ¨estético pelo funcional¨

Gustavo começou a usar próteses retroauriculares na quarta série do primário, hoje está com aparelhos da marca Interton e divide sua vida em duas eras: ¨ A.P e D.P - antes da prótese e depois da prótese!¨.No Manual, ele cita o havaiano Gerry Lopez, que se tornou um grande surfista por ter mudado de estilo de vida, ou seja, ter trocado o ¨ estético pelo funcional¨, uma lição para quem se recusa a usar aparelhos. ¨A importância da aparência é relativa, mas não há dúvida de que ela não é o mais importante. Num mundo onde já se tornou banal ostentar sorrisos artificiais, amizades de mentirinha, rugas de plástico e até unhas postiças, que mal há em você viver a sua vida com essa pecinha nos ouvidos e ser feliz com ela?¨, escreve ele, com um senso agudo da realidade.Apesar de reconhecer a melhora da vida que lhe propiciou o uso de aparelhos, Gustavo defende firmemente a liberdade de poder ¨desligar¨, por exemplo, para driblar a poluição sonora que invade o nosso dia-a-dia: ¨Muitos de nós, assim que começam a vestir seus aparelhinhos, ficam tão maravilhados com este admirável mundo novo que quase trocam de RG: começam a dar risadas sozinhos, a tratar desconhecidos como amigos de longa data(...), mas com o tempo vão se deparando com o outro lado do paraíso: ônibus de mal-humor, motocicletas com problemas de auto-estima,(...)¨ aponta Gustavo no livro. Pois, afinal, ninguém melhor que o usuário para saber escolher o momento de tirar as ¨ maravilhas¨ dos ouvidos e fazer com que a deficiência ¨possa ser desfrutada como um verdadeiro privilégio¨. Visto assim, os que não podem ¨desligar¨ se tornam desfavorecidos auditivos! O ângulo com o qual olhamos o mundo é importante, sim. Ainda existem dúvidas a respeito disso?!

Por: Stéphane Davoine
Fonte:Revista Audio-Infos Brasil
(Caso haja interesse em transcrever a matéria é necessário citar a fonte e pedir autorização a mim e ao editor da revista: http://www.br.audio-infos.eu/ ). Muito obrigado!

2 comentários:

muitasluzinhas disse...

Oi, Guga!!

que matéria bárbara, que reconhecimeno merecido que você vem recebendo!!
Sou muito feliz por ter feito parte dessa história, te espero aqui na próxima bienal, ok?

um beijo grande

lucianobs82 disse...

Fazia uma cara que não vinha aqui, muito bacana a matéria. Baita abraço...te deixo um Leminski, pode ser!?

LÁPIDE 1
epitáfio para o corpo
Aqui jaz um grande poeta.
Nada deixou escrito.
Este silêncio, acredito
são suas obras completas.

LÁPIDE 2
epitáfio para a alma
aqui jaz um artista
mestre em disfarces
viver
com a intensidade da arte
levou-o ao infarte
deus tenha pena
dos seus disfarces

Luciano.